Transligue

V3: Facilidade e Agilidade na Nova Versão do ERP da SOFtran

A migração de um sistema antigo para uma versão nova de um ERP é considerado, por algumas empresas, como algo de alto risco e por isto muitas vezes até evitado. Mas a verdade é que não se pode ficar preso ao passado. É preciso acompanhar a evolução tecnológica.

Inúmeros são os benefícios trazidos pelos avanços da tecnologia e as constantes melhorias nos processos. “A busca pela atualização e melhoria do sistema deve sempre ser contínua”, comenta Alexandre Manske, responsável pelo setor de TI da Transligue Transportes e Serviços Ltda, de Jaraguá do Sul (SC), uma das empresas que zeram a migração da V2 para a V3 da SOFtran. Questionado sobre se a mudança vale a pena, ele responde “Sem dúvida. O ganho em agilidade nos processos é visto logo nos primeiros dias de sua utilização”.

O processo de migração da V3 na Transligue começou em março de 2013 e em 1º de abril a empresa já estava funcionando 100% dentro do novo sistema. Segundo Manske, o processo de transição ocorreu de forma tranquila. “Tivemos alguns problemas com erros em determinadas rotinas, mas estes foram sanados, e enquanto não eram corrigidos, tínhamos a vantagem de fazer uso da V2 enquanto a SOFtran providenciava a correção”. A SOFtran entende que seus clientes não podem ficar parados um segundo sequer, por isso oferece a possibilidade de rodar a V2 paralelamente à migração à V3, caso haja algum problema. Isto reduz consideravelmente a probabilidade de uma parada total do sistema e minimiza danos.

Outra preocupação da SOFtran é a usabilidade do sistema. A V3 é uma versão mais amigável e fácil de usar que a V2. Um dos novos recursos é o usuário poder abrir abas na rotina em que ele estiver usando, assim ele pode visualizar várias telas diferentes sem precisar abrir outra janela. “O principal ponto de mudança foi o fato da V3 permitir acesso por meio de abas, onde não é mais necessário ao usuário ter diferentes acessos simultâneos ao mesmo módulo. Todos se adaptaram muito bem aqui na empresa”, comenta Alexandre Manske.

A evolução tecnológica também foi uma das razões para a criação da V3. O antigo BDE foi trocado pelo AnyDAC, um conjunto de componentes de acesso a dados que, além de ter melhor gestão de memória, é mais compatível com os novos sistemas operacionais do mercado. Esta mudança traz ao sistema um desempenho muito melhor no momento de acesso ao banco de dados. Para Manske, este desenvolvimento trouxe agilidade nos processos. “A principal vantagem é estarmos trabalhando na versão mais estável, para que possamos sempre melhorar nossas rotinas diárias. A V3 realmente nos trouxe maior agilidade nos processos.”

A SOFtran possui todos os módulos que uma empresa necessita para sua gestão

— Alexandre Manske Transligue